Ibirapuera
School of Rock

CONHEÇA A School of Rock

Ibirapuera

SUA BANDA JÁ EXISTE. SÓ FALTA VOCÊ! AGENDE A SUA EXPERIENCIA SCHOOL OF ROCK!   CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS!

Educação musical

Rage Against the Machine

Celebrando Artistas Negros - Parte 5

Alguns dos hiperlinks presentes no texto abaixo estão em inglês.

Neste artigo, vamos homenagear artistas negros e grupos relacionados que foram importantíssimos para a história do Rock ‘n’ Roll e outros gêneros musicais. Estes artistas iniciaram suas carreiras entre o início da década de 1970 e meados da década de 1990, incluindo nomes como Bill Withers e Gary Clark, Jr.

Não se esqueça de conferir as outras listas que preparamos com outros grandes nomes.

Bill Whiters

INSTRUMENTO

Canto 

 

GÊNEROS MUSICAIS

Soul, Funk

 

MÚSICAS FAMOSAS

Use Me, Ain’t No Sunshine, Lean on Me

BIOGRAFIA

Em apenas quinze anos no mundo da música, Bill Withers causou um forte  impacto. Ele tinha uma sonoridade suave, mas descolada,  a qual  lhe rendeu discos que venderam milhões de cópias e atraíram  os fãs de Soul e Pop. Nascido na Virgínia Ocidental, em 1938, Withers se alistou na Marinha quando tinha 17 anos. Ao ser dispensado nove anos depois, seguiu a carreira musical e teve seu primeiro sucesso em 1971, aos 32 anos.

“Ain’t No Sunshine”, do álbum “Just As I Am”, foi o primeiro sucesso de Bill. Produzido por Booker T. Jones do Booker T. and the MGs, o álbum também traz MG Duck Dunn no baixo e o folk rocker Stephen Stills na guitarra solo. A música ganhou um Grammy, e Bill caiu na estrada fazendo turnês. Ele logo gravou seu álbum seguinte, “Still Bill”, que trazia “Lean on Me” e a música super funkeada “Use Me”. Seu próximo sucesso foi “Lovely Day”, do disco “Menagerie”. O sucesso final de Bill foi uma colaboração com o saxofonista Grover Washington Jr., em  “Just the Two of Us”.

Em 1985, sem paciência para lidar com as gravadoras, afastou-se da indústria fonográfica e nunca mais olhou para trás. Ele foi incluído no Rock and Roll Hall of Fame em 2015 e faleceu em 2020, aos 81 anos.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Misturava Soul e pop em duas composições

 

ARTISTAS/PROJETOS QUE INFLUENCIOU

John Legend, Darius Rucker, Ben Harper

 

Prince

INSTRUMENTOS

Canto, guitarra, teclado, bateria e baixo

 

GÊNEROS MUSICAIS

Funk, Pop, Rock

 

MÚSICAS FAMOSAS

1999, Little Red Corvette, Let’s Go Crazy, Purple Rain

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Vanity 6, Sinéad O'Connor, Chaka Khan, Sheila E, Sheena Easton, The Time, The New Power Generation, Madhouse

 

BIOGRAFIA

Prince Rogers Nelson foi  cantor e compositor, músico, produtor musical, dançarino, ator, cineasta e um visionário cultural norte-americano. Nascido e criado em Minneapolis, Minnesota, filho de mãe cantora de jazz e pai pianista e compositor. seus pais se separaram quando ele era jovem. Assim, ia de um lado para o outro em busca da compreensão e aceitação vinda de seus pais e irmãos.

Prince assinou seu primeiro contrato de gravação com a Warner Brothers Records aos 19 anos. Depois de uma série de álbuns, ele alcançou uma medida de sucesso com lançamentos, principalmente de R&B. Em 1985, Prince ganhou um Oscar de Melhor Trilha Sonora Original pela trilha sonora de “Purple Rain”, um filme vagamente baseado na vida do cantor. “Purple Rain” levou Prince ao estrelato, resultando em quatro singles no Top 10 Mais Vendidos, com mais de 25 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.  O cantor continuou a lançar álbuns de sucesso ao longo de sua carreira, e é considerado um dos artistas mais ativos da história da música. Em sua vida, lançou 39 álbuns e  dizem que deixou centenas de canções gravadas, mas não lançadas na compilação “Vault”. Prince também compôs várias canções populares para outros artistas, incluindo “Manic Monday” e “Nothing Compares 2 U”. São  de sua autoria outras duas trilhas sonoras para seus próprios filmes, “Under the Cherry Moon” e “Graffiti Bridge”, assim como a trilha sonora de “Batman”, em 1989.

Prince era um artista performático e carismático com uma grande variedade vocal e um falsete incrível, além de ser um dos guitarristas mais subestimados no Rock. Não só o  talento e a  incrível capacidade de composição marcam seu trabalho: Prince foi considerado revolucionário pelos acordos que fechou com gravadoras e por ser um artista que trouxe à tona a natureza opressora dos contratos de gravação. Em 1992, ele assinou um contrato de gravação de $ 100 milhões. Foi uma quantia sem precedentes na época, e foi mais do que Michael Jackson ou Madonna já haviam negociado por um contrato de gravação.

Em 1993, Prince mudou seu nome para um símbolo, tornando-se conhecido como “O Artista Anteriormente Conhecido como Príncipe”. Tal atitude tinha como objetivo chamar atenção para a injustiça da indústria fonográfica com relação a seus direitos autorais, permitindo-se continuar a gravar e a distribuir os próprios álbuns sem nenhuma obrigação judicial para com a Warner Brothers. Ele afirmou que a Warner Brothers limitava  a quantidade de músicas que ele podia lançar, controlando quando e como ele deveria lançá-las.

Em 14 de fevereiro de 1996, Prince lançou seu site "The Dawn" e foi um dos primeiros grandes artistas a distribuir sua música on-line, mudando as percepções dos artistas sobre o que eles poderiam realizar sem um acordo de distribuição de uma grande gravadora. Em 2004, ele mais uma vez provou que poderia contornar os padrões da indústria, oferecendo seu álbum “Musicology” de graça junto da compra de ingressos para seus shows. Ao fazer isso, os álbuns ainda contavam como vendas, segundo o Sound Scan e, como resultado, Prince alcançou o terceiro lugar nas paradas da Billboard.

Prince morreu em 2016 de overdose acidental de analgésicos. Ele deixou um legado de verdadeira arte, e sua influência como músico e visionário inspirou a todos, de Bruno Mars a Lady Gaga e Beck.  Foi  incluído no Rock and Roll Hall of Fame em 2004.

 

INOVAÇÕES TÉCNICAS

Criador do “The Dawn”, um dos primeiros museus on-line. Também processou a Warner Brothers, recuperando os direitos sobre suas músicas. Driblou a Sound Scan ao oferecer seus discos gratuitamente como se fossem vendas. 

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Combateu ativamente as práticas corruptas empregadas pela indústria fonográfica. Desenvolveu grandes empreitadas, buscando formas de liberar material novo por meio de seu site, o The Dawn, quando a internet ainda estava começando a ser disseminada.

 

ARTISTAS/PROJETOS QUE INFLUENCIOU

D’Angelo, Frank Ocean, Beyoncé, Justin Timberlake, Alicia Keys, TLC, Miguel, Sheila E., Beck, Lenny Kravitz, The Weeknd, Rihanna, Alicia Keys, Janelle Monae, Cyndi Lauper, Usher, Bruno Mars, Andre 3000, Lady Gaga, Pharrell Williams

Bad Brains

GÊNEROS MUSICAIS

Punk, Hardcore, Reggae

 

MÚSICAS FAMOSAS

Sailin On, Big Takeover, Attitude, Re-Ignition

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Soul Brains, Human Rights, Mind Power

 

BIOGRAFIA  

Bad Brains foi formado em 1977 em Washington, D.C., começando como uma banda de Jazz Fusion chamada Mind Power. Inspirados na cena Punk Rock da cidade, eles começaram a tocar mais rápido e com mais intensidade. Para se destacar ainda mais, o Bad Brains incorporou Reggae e a filosofia Rastafari à sua sonoridade. Suas habilidades técnicas permitiam que brincassem com diversos elementos com uma precisão e sutileza que seus colegas punks não conseguiam.

O vocalista HR, seu irmão baterista Earl Hudson, o baixista Darryl Jenifer e o guitarrista Dr. Know se mudaram para a cidade de Nova York em 1979 e ajudaram a dar início à cena Hardcore de Nova York. Suas apresentações icônicas em locais como CBGBs os transformaram em lendas do dia para a noite. O Bad Brains influenciou várias gerações de bandas, incluindo Minor Threat, Beastie Boys, Living Color, Red Hot Chili Peppers e Foo Fighters.

A banda é responsável ​​por incorporar o conceito de PMA, ou Positive Mental Attitude, à ideologia Punk com sua música “Attitude”. Ao longo dos anos, o Bad Brains passou por inúmeras mudanças na formação, e alguns membros lutaram contra problemas de saúde, mas  o grupo continua a se apresentar esporadicamente.

Como a banda Punk composta por negros de maior sucesso de todos os tempos, o Bad Brains influenciou gerações de jovens punks de todas as etnias. Seguindo as dicas das primeiras bandas de Black Punk, como Death e Pure Hell, Bad Brains foi uma força inspiradora na cena Hardcore.

 

INOVAÇÕES TÉCNICAS

Hardcore punk feito com técnica musical avançada

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Uma das bandas punks mais importantes compostas por membros negros, além de misturar Punk com Reggae.

 

INFLUENCIOU OS SEGUINTES ARTISTAS/PROJETOS

Fishbone, Living Colour, Foo Fighters, Red Hot Chili Peppers, Sublime, 311, Minor Threat

Fishbone

GÊNEROS MUSICAIS

Ska, Punk, Funk, Soul, Rock

 

MÚSICAS FAMOSAS

Party at Ground Zero, Everyday Sunshine

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Dr. Mad Vibe

 

BIOGRAFIA

A Fishbone foi formada em 1979 no sul da Califórnia. Os irmãos Fisher (Norwood no baixo e Fish na bateria), junto com o vocalista e trompetista Angelo Moore, o guitarrista Kendall Jones, o trompetista Walter Kirby II e o multi-instrumentista (trompete, tons, vocais) Christopher Dowd, criaram um som que misturava Ska, Punk, Funk, Metal e Soul. Os shows da banda são considerados uma experiência única, contando com o carismático Moore comandando o palco como um verdadeiro líder de circo.

Fishbone invadiu a cena club do início dos anos 1980 em Los Angeles e logo estava dividindo palcos com o Red Hot Chili Peppers. Eles lançaram seu primeiro EP em 1985, que incluía seu single “Party at Ground Zero”. O sucesso do videoclipe daquela música na MTV trouxe à banda um público mais amplo, conquistando um número maior de fãs quando qos Beastie Boys os escolheram como o banda de abertura da Turnê “License to Ill”. Em 1993, Fishbone juntou-se à turnê Lollapalooza. A banda levou a música negra para um público de música alternativa predominantemente branco. Nessa entrevista à NPR, Norwood e Angelo falam sobre  lidar com questões raciais no mundo do Rock and Roll.

Nos anos 90, a banda enfrentava várias mudanças de formação, com Fish saindo para seguir como baterista de estúdio. Os membros mudaram constantemente, com o guitarrista do Suicidal Tendencies, Rocky George, tocando na banda por mais de 10 anos. Em 2010, o documentário “Everyday Sunshine: The Story of Fishbone” foi lançado e muito bem recebido pela crítica. Em 2017, a formação original (sem Kendall) se reuniu para uma série de shows.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Uma das primeiras bandas de Punk/Funk/Ska

 

INFLUENCIOU OS SEGUINTES ARTISTAS/PROJETOS

No Doubt, Primus, Jane's Addiction, Sublime

 

Slash

INSTRUMENTO

Guitarra

 

GÊNEROS MUSICAIS

Rock

 

MÚSICAS FAMOSAS

Sweet Child O’ Mine, Paradise City

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Guns N’ Roses, Snakepit, Velvet Revolver

 

BIOGRAFIA

Saul Hudson, conhecido como Slash, nasceu em Londres, Inglaterra, em 1965. Sua mãe Ola Hudson era uma estilista que trabalhou com David Bowie e Ringo Starr, e seu pai, Anthony Hudson, produziu capas de álbuns. A família de Slash se mudou, quando ele tinha cinco anos,  para Los Angeles, onde cresceu. No colégio, começou a ter aulas de guitarra e tornou-se obcecado pelo Classic Rock dos anos 1960 e 1970.

Slash começou a tocar em bandas em 1981 com seu amigo de infância Steven Adler. Na banda Roadcrew (em homenagem a uma música do Motörhead), Slash e Adler convidaram o baixista Duff McKagan a se juntar a eles. Essa banda acabou se transformando na Hollywood Rose, com o vocalista Axl Rose e o guitarrista Izzy Stradlin juntando-se  à formação. Após a separação de Hollywood Rose, Slash, Rose, Adler, Stradlin e McKagan compuseram a formação clássica do Guns N 'Roses. Seu álbum de estreia, “Appetite For Destruction”, lançado em julho de 1987, é o disco de estreia mais vendido de todos os tempos, com mais de 28 milhões de cópias. 

O single principal deste disco foi “Sweet Child O’ Mine” , que apresentava a técnica de lick icônica e melódica de Slash. O álbum levou o guitarrista  ao status de guitar hero, conforme a popularidade da banda crescia. Inspirado por Aerosmith, Eric Clapton, Van Halen, Rolling Stones e Jeff Beck, Slash trouxe a guitarra solo de volta aos holofotes. A cartola preta, sua marca registrada, era tão onipresente quanto sua guitarra Les Paul. As vendas de Les Pauls dispararam, e Gibson lançou vários modelos de Les Paul diferentes em homenagem a Slash. Ironicamente, a Les Paul usada em “Appetite For Destruction” era, na verdade, apenas uma réplica. Slash também tem o próprio modelo de amplificador Marshall.

A fama do Guns N' Roses cresceu, assim como a controvérsia em torno da banda, que, em 1988,  lançou o disco “Lies” e um EP ao vivo. Em 1991, houve, separadamente, no país,  o lançamento de dois álbuns, “Use Your Illusion I” e “Use Your Illusion II”. Os atritos entre os membros levaram a várias mudanças na formação, e Slash deixou o Guns N ’Roses em 1996.

Assim, começou sua carreira solo em 1994 com Slash’s Snakepit e, em 2002, formou o Velvet Revolver com o ex-vocalista do Stone Temple Pilots, Scott Weiland, bem como Duff McKagan, outro ex-membro do Guns ‘n’ Roses. Ele também se apresenta com o vocalista Myles Kennedy como Slash with Myles Kennedy and The Conspirators. Em 2016, o Guns N ’Roses se reuniu com uma formação que contava com Slash, Axl Rose e Duff McKagan. A turnê de dois anos e meio que se seguiu foi uma das de maior bilheteria de todos os tempos, provando a influência duradoura da banda.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Um dos guitarristas mais famosos de todos os tempos

 

ARTISTAS/PROJETOS QUE INFLUENCIOU

Avenged Sevenfold, Buckcherry, The Strokes, Buckethead

 

Lenny Kravitz

INSTRUMENTOS

Guitarra e canto

 

GÊNEROS MUSICAIS

Rock, R&B, Funk

 

MÚSICAS FAMOSAS

Are You Gonna Go My Way, Always on the Run, Let Love Rule, Fly Away, American Woman

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Zoro, Karl Denson, Cindy Blackman, Craig Ross, Madonna, Slash

 

BIOGRAFIA

Lenny Kravitz nasceu em uma família do show business na cidade de Nova York em 1964. Sua mãe era a atriz Roxie Roker, e seu pai trabalhava na produção de TV. Kravitz se interessou por música desde muito jovem, tornando-se familiarizado com a guitarra e a bateria. Foi especialmente inspirado pelo R&B dos anos 1960 e 1970, incluindo os Jackson 5, James Brown e Curtis Mayfield. Quando sua mãe conseguiu um papel de destaque na  série de TV “The Jeffersons”, a família se mudou para Los Angeles, onde Kravitz foi influenciado pela cena rock local.

O álbum de estreia de Kravitz, “Let Love Rule”, lançado em 1989, contava com  uma mistura de influências Funk, Soul, R&B e psicodelia com um toque de Rock, o que o consolidou como um novo talento na indústria. Ele seguiu com “Mama Said”, em 1991, e “Are You Gonna Go My Way”, em 1993, dois álbuns que lançaram grandes sucessos e fizeram de Kravitz um superstar internacional. “Always on the Run”, sua colaboração com Slash, do Guns N 'Roses, modernizou o Funk Rock para os anos 1990. Ele continuou lançando álbuns de sucesso ao longo da década de 1990 e, em 1999, teve outro sucesso com seu cover da música "American Woman", do The Guess Who. Em sua carreira histórica, Kravitz lançou 11 álbuns de estúdio, que venderam mais de 40 milhões de cópias em todo o mundo.

ais conhecido como cantor e guitarrista, seus riffs em “Are You Gonna Go My Way” eram praticamente um aprendizado obrigatório para qualquer estudante de guitarra nos anos 1990. Kravitz também obteve sucesso como compositor para outros artistas, colaborando com lendas como Madonna, Slash, Stevie Wonder, Michael Jackson, Mick Jagger e Jay-Z. Ele também se tornou um ator de sucesso, aparecendo em filmes populares como “Precious” e “The Hunger Games”. Kravitz ainda compôs  diversos singles de sucesso 30 anos após sua estreia e tem influenciado muitos artistas no mundo da música, desde seus contemporâneos, como The Black Crowes e Ben Harper, a estrelas modernas, como Gary Clark Jr. e SAINt JHN.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Um dos maiores guitarristas negros da década de 1990 e do rock moderno

 

ARTISTAS/PROJETOS QUE INFLUENCIOU

Black Crowes, Ben Harper, Gary Clark Jr, SAINt JHN

Living Colour

GÊNEROS MUSICAIS

Rock, Funk

 

MÚSICAS FAMOSAS

Cult of Personality, When Love Rears Its Ugly Head

 

BIOGRAFIA

Formado em Nova York em 1984, o Living Color é a banda de Black Hard Rock de maior sucesso da história. A música “Cult of Personality” de seu álbum “Vivid”, de 1988, foi um grande sucesso e apareceu com frequência na MTV, dando à banda uma audiência mundial. A banda ganhou o Grammy de Melhor Performance de Hard Rock em 1990, e novamente em 1991,  com o álbum “Time’s Up”, que inclui o single “When Love Rears Its Ugly Head”.

A f banda era composta, inicialmente,  por Vernon Reid (guitarra), Corey Glover (voz), Will Calhoun (bateria) e Muzz Skillings (baixo). Skillings foi substituído pelo baixista Doug Wimbish em 1992. A fusão de Metal, Jazz e Funk de Reid chamou a atenção da banda imediatamente. Antes de formar o Living Color, Reid fazia parte da cena jazz de vanguarda de Nova York e, ainda hoje, continua a lançar material novo em sua carreira solo.

Reid foi fundamental para ajudar a formar a Black Rock Coalition (BRC) em 1985. De acordo com o site da iniciativa, “O BRC se opõe às forças racistas e reacionárias da indústria fonográfica norte-americana, que minam e roubam nosso legado musical e negam aos artistas negros a liberdade expressiva e compensação econômica, das quais gozam nossos semelhantes caucasianos, sem qualquer esforço por motivos raciais.”

A banda lançou 7 álbuns, sendo “Shade”, de 2017, o mais recente e que incluiu covers de músicas de Robert Johnson e Marvin Gaye.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Uma das bandas de Hard Rock compostas por membros negros mais bem sucedidas, tendo auxiliado na criação do coletivo Black Rock Coalition.

 

INFLUENCIOU OS SEGUINTES ARTISTAS/PROJETOS

RATM, Body Count

 

Tracy Champan

INSTRUMENTOS

Canto e guitarra

 

GÊNEROS MUSICAIS

Folk, Rock, Blues, Pop

 

MÚSICAS FAMOSAS

Fast Car, Give Me One Reason, Talkin Bout a Revolution

 

BIOGRAFIA

Tracy Chapman é cantora,  compositora e ganhadora do Grammy. Sua voz distinta e ativismo social lhe renderam um  considerável número de fãs em todo o mundo. Tracy nasceu em Cleveland, Ohio, em 1964, e começou a tocar guitarra e a compor suas próprias canções aos oito anos. Ela estudou  em uma escola preparatória para a faculdade e, depois, frequentou a Tufts University.

Enquanto estava na faculdade, Tracy começou a se apresentar e logo chamou a atenção de uma gravadora. Depois de se formar na faculdade, em 1986, Chapman assinou com a Elektra Records. Seu primeiro single, “Fast Car”,  elevou-a ao status de celebridade instantaneamente. Seu álbum de estreia, “Tracy Chapman”, ganhou três prêmios Grammy, incluindo o de Melhor Novo Artista. Ela continuou a lançar álbuns, e seu quarto disco, “New Beginnings”, apresentou o single “Give Me One Reason”, que ganhou o Grammy de Melhor Canção de Rock e vendeu mais de cinco milhões de cópias nos Estados Unidos.

Chapman continuou a lançar material novo e a sair em turnês, mas sua atividade diminuiu consideravelmente. Ela continua a defender e a atuar por várias causas sociais, como direitos civis e erradicação da pobreza.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Uma das compositoras negras mais bem sucedidas, além de defensora dos direitos civis e militante a favor da erradicação da pobreza 

 

ARTISTAS/PROJETOS QUE INFLUENCIOU

Ani DiFranco, Ed Sheeran

 

Rage Against The Machine

GÊNEROS MUSICAIS

Hard Rock, Alternative Metal

 

MÚSICAS FAMOSAS

Bullet In The Head, Freedom, Bulls On Parade, Guerrilla Radio

 

ARTISTAS/PROJETOS COM OS QUAIS COLABOROU

Audioslave, Prophets of Rage

 

BIOGRAFIA

Rage Against the Machine (frequentemente conhecido pelos fãs como RATM ou Rage) foi formado por Zack de la Rocha (voz), Tom Morello (guitarra), Tim Commerford (baixo) e  Brad Wilk (bateria). A primeira apresentação da banda foi em 1991 em Orange County, Califórnia. Rage rapidamente ganhou popularidade no ano seguinte. Eles se apresentaram no segundo festival Lollapalooza, viajaram pela Europa e lançaram o álbum Rage Against The Machine pelo selo Epic Records.

RATM é conhecido por sua música agressiva e letras de conteúdo político. Muitas de suas canções apresentam temas líricos que falam sobre opressão, racismo, violência policial e censura. Os riffs pesados ​​de Tom Morello, a execução econômica do solo e o uso inovador de pedais de efeitos deram à música uma sonoridade única de Hard Rock, enquanto o fraseado vocal e poético de Zack de la Rocha típico do Hip Hop foi  uma grande influência no Rap-Rock e Nu- metal comum às bandas do final dos anos 1990 e início dos anos 2000. Em 1994, o álbum de estreia do RATM ganhou disco de platina por vender mais de um milhão de cópias.

Em 1996, Rage Against the Machine se apresentou no Tibetan Freedom Concert. Naquele mesmo ano, a banda lançou o disco “Evil Empire”, que estreou em primeiro lugar no Top 200 da Billboard. O vídeo de seu clássico “Bulls On Parade” foi indicado para a categoria Melhor Videoclipe de Hard Rock no MTV Video Music Awards. 

Talvez de forma previsível, dadas as opiniões francas da banda, sua carreira foi cheia de polêmicas. Em 1996, a banda participou do Saturday Night Live, mas foi interrompida depois que os produtores consideraram a decoração do palco (com bandeiras dos EUA de cabeça para baixo) muito agressiva. A banda também chegou a fechar Bolsa de Valores de Nova York nas filmagens do videoclipe da música “Sleep Now in the Fire”. No entanto, também investiram  seu dinheiro nas causas pelas quais advogavam: por diversas vezes, apresentavam-se  de graça em eventos de caridade ou causas políticas, chegando até a doar todos os seus lucros, como banda de abertura de uma turnê mundial do U2, para organizações de caridade.

Pouco depois de lançar outro álbum que ficou em primeiro lugar nas paradas de sucesso, “The Battle of Los Angeles”, o RATM se separou em 2000, com Zack de la Rocha partindo para uma carreira solo e os outros músicos formando a banda Audioslave com o ex-vocalista do Soundgarden, Chris Cornell.

A banda se reuniu em 2007 e juntou forças em 2016 com Chuck D, do Public Enemy, e B-Real, do Cypress Hill, para criar o Prophets of Rage. Embora não tenha sido incluída no Rock and Roll Hall of Fame, sua mistura única de influências de Rock, Metal e Hip Hop teve um enorme impacto na música que foi produzida no final dos anos 1990 e início dos anos 2000.

 

INOVAÇÕES TÉCNICAS

As técnicas de guitarra utilizadas por Tom Morello,  a fim de gerar uma sonoridade típica dos remixes feitos por DJs

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Banda da década de 1990 com fortes raízes políticas em suas composições, que misturavam inflluências do Hard Rock e do Hip Hop

 

INFLUENCIOU OS SEGUINTES ARTISTAS/PROJETOS

O RATM influenciou o surgimento do gênero Nu-Metal na década de 1990

 

Gary Clarck Jr.

 INSTRUMENTOS

Guitarra e canto

 

GÊNEROS MUSICAIS

Blues, Rock, Soul

 

MÚSICAS FAMOSAS

Bright Lights, Ain’t Messin Around, This Land

 

BIOGRAFIA

Gary Clark Jr. é cantor e guitarrista de Blues, Rock e Soul de Austin, Texas. Nascido em 1984, foi auxiliado pelo proprietário do clube de Blues Clifford Antone. Antone providenciou para que o  adolescente Clark  pudesse estar junto das lendas do Blues Hubert Sumlin e Pinetop Perkins. Antone havia auxiliado Stevie Ray Vaughan e Jimmie Lee Vaughan da mesma maneira. Clark agora é proprietário parcial desse lendário clube.

O grande momento de destaque nacional de Clark, no início de sua carreira,  aconteceu  no Crossroads Festival de Eric Clapton, em 2010, ao lado de B.B. King, Jeff Beck, Buddy Guy e do próprio Clapton. Seu álbum de 2012, “Blak and Blu”, apresentou o hit “Bright Lights”. “Please Come Home” ganhou o prêmio Grammy de Melhor Canção de R&B Tradicional, enquanto “Ain’t Messin Around” foi indicada, mas não ganhou como Melhor Canção de Rock.

Clark, então, lançou “The Story of Sonny Boy Slim” em 2015, com seu single “The Healing”. O som do álbum apresentava mais elementos de R&B e Hip Hop ao lado dos solos blues de Clark. Em um movimento incomum para novos artistas, o selo Warner Bros de Clark também lançou dois álbuns ao vivo, “Live”, em 2014, e “Live North America”, 2016.

Em 2019, Clark lançou o poderoso “This Land”, que ganhou o Grammy de Melhor Performance de Rock e Melhor Canção de Rock. A faixa-título é uma denúncia poderosa do racismo nos tempos modernos que vivem os Estados Unidos, conforme abordado em parte desta entrevista.

 

CONTEXTO HISTÓRICO E/OU CULTURAL

Um dos maiores e mais jovens fenômenos do Blues moderno, discutindo sobre o racismo na atualidade

 

SAIBA MAIS SOBRE OUTROS GRANDES ARTISTAS NEGROS