Brooklin-Campo Belo
School of Rock

CONHEÇA A School of Rock

Brooklin-Campo Belo

Estudantes-Ex-alunos-Professores

As Mulheres da Temporada Women In Rock #5

Nesta semana, a Roqueira escolhida é a cantora Janis Joplin, cuja morte por overdose de heroína completa hoje 51 anos.

Janis Joplin foi uma das primeiras estrelas femininas do rock mundial e, ao mesmo tempo, era um ícone e defensora ferrenha do blues. Suas letras confessionais, intensidade e personalidade no palco a tornaram umas das maiores artistas de todos os tempos, segundo a revista Rolling Stone. Não é por acaso que a diva rebelde vendeu mais de 15,5 milhões de álbuns só nos EUA.

Janis era a irmã mais velha de três irmãos. Seu nome foi escolhido por seu pai, e reverencia o deus romano Janus, que deu origem a janeiro, mês em que a cantora nasceu.

Planejou um casamento em 1966, mas desistiu para se juntar à banda de rock psicodélico “Big Brother and the Holding Company”. Depois  de deixar essa banda, Joplin buscou uma banda de apoio para sua carreira solo e se apresentou com a Kozmic Blues Band.

 

Em 1965, customizou com uma colorida pintura psicodélica um Porsche Cabriolet que originalmente era branco e, segundo a cantora, “sem graça”. Com um valor estimado em 600 mil dólares, o carro foi leiloado por 1,76 milhão em 2015.

A cantora só alcançou o topo das paradas após sua morte, aos 27 anos. A primeira e única canção a conquistar esse feito foi “Me and Bobby McGee”, que foi número 1 do Top 100 da Billboard em 1971.

Janis foi introduzida no Rock and Roll Hall of Fame em 1995, junto com Led Zeppelin e Neil Young.


O último álbum de Janis, ganhou o nome de “Pearl”, apelido carinhoso que a cantora tinha entre os amigos mais íntimos.

Um de seus últimos registros foi uma fita cassette em que ela desejava feliz Aniversário a John Lennon, cantando a música “Happy Trails”. O ex-Beatle, só recebeu a mensagem após seu falecimento.

 

Janis visitou o Brasil no final dos anos 60 e causou estranhamento por causa das roupas e dos cabelos sempre despenteados. Por causa de seu visual foi impedida de entrar num bar no Rio de Janeiro. A diva veio ao país na esperança de que sol, praia e samba lhe ajudassem a se livrar do vício em heroína. Aqui fez topless na praia e foi expulsa do Copacabana Palace por nadar nua na piscina do hotel. Teve também um breve relacionamento com o cantor Serguei.

Em seu testamento, assinado poucos dias antes de ser encontrada morta, Janis destinou uma verba de 1500 dólares, para a realização de uma festa após sua morte. A festa aconteceu no mesmo mês de outubro, com cerca de 200 convidados e contou com uma apresentação da banda Grateful Dead.